Consciência Ambiental

17 de maio – Dia Mundial da Reciclagem

Embora haja muitos processos de reciclagem, algumas medidas simples podem ser tomadas no dia a dia. A primeira delas, claro, é consumir menos: pense duas vezes antes de trocar um bem que ainda tem condições de uso. Além disso… 

 

- Compre produtos já reciclados!

- Reutilize embalagens de margarina e doces para guardar restos de comida.

- No supermercado, prefira marcas com embalagens mais simples, que contenham menos plástico.

- Não dê de presente brinquedos que precisam de pilhas para funcionar.

- Em casa, use guardanapos de pano em vez de papel.

- No trabalho, prefira as versões eletrônicas de documentos importantes, evitando imprimir esses materiais.

-  Em vez de jogar fora, reutilize camisetas e cortinas velhas (que não estejam em condições de doação) como panos de limpeza.

- Guarde a água das chuvas para regar plantas e lavar calçadas.

- Armazene e descarte corretamente óleo de cozinha usado. Além de poder ser usado na produção de ração animal, detergentes biodegradáveis e lubrificação de máquinas agrícolas, descartar o óleo corretamente (em vez de jogar no ralo) impede contaminação da água e entupimento de esgotos.

- Doe objetos sem uso para instituições de caridade, ao invés de jogá-los fora.

- No restaurante, prefira sucos naturais feitos na hora, servidos no copo (não em uma embalagem industrializada).

- Não utilize canudinho para beber.

- No restaurante, use o mesmo prato para servir-se uma segunda vez — economia de água!

- Não embrulhe presentes.

- No lixo do banheiro, use um saco de papel em vez de um saco de plástico.

- Carregue uma eco-bag na bolsa, no bolso ou na mochila.

- Informe-se sobre coleta seletiva na sua cidade.

- Descarte corretamente o lixo eletrônico (pilhas, baterias, celulares, computadores, câmeras).

 

Recapitulando, reciclagem é o processamento de materiais usados na criação de novos produtos para prevenção do desperdício de materiais potencialmente reutilizáveis, redução do consumo de matéria-prima e redução da poluição do ar (causada pela incineração) e da água (causada pelo aterramento), o que consequentemente reduz a necessidade de “eliminação” convencional e a emissão de gases causadores do efeito estufa, se comparada com a produção que utiliza matéria-prima virgem. Entre os materiais que podem ser reciclados estão muitos tipos de vidro, papel, metal, plástico, tecidos e eletrônicos.

E então, quantas dessas dicas é possível incorporar à vida cotidiana? A gente aceita o desafio!

Bookmark and Share

por no dia 17 de maio, 2016      nenhum comentário

O quintal do apartamento

Se pensarmos na expressão “charme urbano”, é possível que a cidade de Toronto não surja naturalmente na nossa lista mental. De fato, o charme de Toronto, a maior cidade do Canadá, é melhor definido como transurbano – com canteiros, jardins e bosques que fazem parte do tradicional cotidiano de prédios, carros e gente em movimento das metrópoles.

Por exemplo: quem mora em um prédio de 40 andares em uma área central de Toronto pode (sempre que o tempo permitir) fazer sua caminhada diária por trilhas que se estendem ao longo dos cursos d’água que cruzam a cidade. Dentro desses espaços, seria possível dizer que se está fora da cidade – a não ser pelo fato de que, ao menos em Toronto, o conceito de urbano compreende ter em si esses grandes quintais que são, cotidianamente, usados por pessoas com seus cães, ciclistas e corredores.

Claro que nesses bosques urbanos, embora não pareça haver qualquer sensação de insegurança, há sinais de uma existência que depende de decisão política e comunitária. Por vezes encontra-se lixo, ou mau cheiro, ou, se houver qualquer parede, pichação. Mas é evidente que existe vontade, planejamento e investimento, como mostra o caso do Centro Ambiental Evergreen Brick Works. Essa iniciativa, a partir de parceria público-privada, iniciou a recuperação de uma grande área ocupada por uma olaria que encerrou suas atividades em 1984. Em 2010, o Centro passou a funcionar ao longo do ano todo, oferecendo trilhas, espaço e atividades gratuitas para crianças, feira de produtores, rinque de patinação no gelo e atividades permanentes de recuperação e conservação ambiental.

Bookmark and Share

por no dia 14 de setembro, 2015      nenhum comentário

Lâmpadas de LED podem abrir caminho para a revolução das hortas urbanas

O êxodo rural não é novidade há um bom tempo e continua sendo tanto uma realidade quanto uma tendência. Mais gente nas cidades, mais necessidade de transporte de alimentos, mais poluição. Por isso as ainda raras hortas urbanas são uma tendência. E as lâmpadas LED podem ser fundamentais na disseminação delas pelas grandes cidades.

Para mostrar esse potencial, a Philips firmou uma parceira com a Green Sense Farms (especializada em agricultura de interiores) visando o desenvolvimento de modelos de plantações verticais de vegetais folhosos. Em vez do método de estufas, foram usadas lâmpadas LED.

O resultado foi o consumo de muito menos energia elétrica e água, já que as plantas puderam ser colocadas umas em cima das outras.

Será a tecnologia LED protagonista da revolução das hortas urbanas?

Mais informações: ThreeHugger

Bookmark and Share

por no dia 11 de julho, 2015      nenhum comentário

Instituto Nacional de Câncer se posiciona contra o uso de agrotóxicos

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) se posicionou recentemente contra o uso de agrotóxicos. A publicação enaltece as ações do órgão em defesa de alternativas sustentáveis e alerta que as consequências na população devem ser percebidas já na próxima década.

O Brasil é o país que mais consome agrotóxicos no mundo. A estimativa é de uma média de 5,5 quilos anuais por habitante. O crescimento desse consumo está diretamente relacionado ao aumento do uso de sementes transgênicas.

O documento menciona uma publicação deste ano da International Agency for Research on Cancer (IARC), em que 5 agrotóxicos foram classificados como possíveis agentes carcinogênicos. Desses, 3 são utilizados no Brasil como inseticidas no controle de vetores e na agricultura.

Os agrotóxicos estão presentes tanto em alimentos in natura quanto nos industrializados; basta que a matéria-prima tenha sido exposta a pesticidas. Também geram preocupação o contato direto de trabalhadores rurais com essas substâncias e o fato de serem realizadas pulverizações aéreas.

A boa notícia é que as feiras ecológicas não param de crescer no Brasil. O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC) disponibiliza em seu site um mapa com as feiras orgânicas espalhadas pelo país.

Bookmark and Share

por no dia 30 de maio, 2015      nenhum comentário

Lixo orgânico vira eletricidade para campus

Excesso de lixo e escassez de energia elétrica são dois graves problemas que enfrentamos, mas uma usina de biodigestão de lixo acabou com essa preocupação na University of California, Davis.

O Renewable Energy Anaerobic Digester (READ) foi desenvolvido por pesquisadores liderados por Ruihong Zhang, professora do Departamento de Engenharia Biológica e Agrícola. Microrganismos em grandes tanques sem oxigênio consomem o lixo produzido no campus e, através da fermentação, produzem biogás.

A usina tem condições de, anualmente, reduzir a emissão de gases causadores do efeito estufa em 13,5 mil toneladas e livrar o campus de 20 mil toneladas de lixo. Além da alta capacidade de produção de energia, a tecnologia High Solids Anaerobic Digestion (HSAD) possibilita eliminar patógenos presentes no lixo.

É a pesquisa científica a favor da sustentabilidade!

Mais informações: UC Davis

Bookmark and Share

por no dia 11 de abril, 2015      2 comentários

Inspirada em obra de Van Gogh, ciclovia que brilha no escuro é inaugurada na Holanda

No último dia 12, foi inaugurada na província holandesa de Brabante do Norte a primeira ciclovia do mundo que brilha no escuro. Talvez não haja país mais adequado para essa inovação, desenvolvida pelo designer Daan Roosegaarde.

Inspirado na obra Noite Estrelada, de Van Gogh, o caminho é iluminado por milhares de pedras cintilantes. Se o sol ficar por muitos dias intimidado pelas nuvens, a luminosidade pode ser reforçada com outras fontes de eletricidade.

A inauguração dessa ciclovia na terra natal do indelével Van Gogh dá início à programação cultural em homenagem aos 125 anos de sua morte. O caminho é definido neste vídeo como um lugar “onde a história e o futuro se encontram”:

Mais informações: Twisted Sifter

Bookmark and Share

por no dia 15 de novembro, 2014      nenhum comentário

Uma viagem pela maior estrada do mundo

Quer viajar de carro da Patagônia ao Alaska? Então, prepare-se para uma aventura através da Rodovia Panamericana. A ideia dessa ligação continental foi formalizada em 1936, numa conferência convocada pelo então presidente dos EUA, Franklin D. Roosevelt, como forma de estreitar a amizade entre os povos.

Na verdade, não se trata de uma única rodovia, e sim de um caminho (às vezes, mais de um). Como cada país é responsável pelo trecho em seu território, o estado de conservação varia muito. Além disso, a sazonalidade climática torna alguns pontos intransitáveis em certos períodos.

Mas nesse caminho de 48.000 km por diferentes climas e paisagens há uma parte jamais construída: cerca de 100 km entre a Colômbia e o Panamá, no chamado Darien Gap. Bem que o interesse pela preservação ambiental e pela cultura indígena poderiam ser as razões, mas vale lembrar que, no início do século passado, o Panamá se tornou independente da Colômbia, e o Darien Gap praticamente intato inibe qualquer interesse colombiano em mudar essa história.

Alguns aventureiros já cruzaram essa fronteira por terra, literalmente criando caminhos pela floresta tropical. Mas normalmente quem viaja entre as Américas de carro atravessa esse trecho de barco. Que tal, nas próximas férias?

Bookmark and Share

por no dia 4 de setembro, 2014      nenhum comentário

Alimentos orgânicos cada vez mais acessíveis

Cuidar da alimentação, estimular a agricultura sustentável e sentir mais cheiros e sabores são as principais motivações de quem ingere produtos orgânicos. Tímidos e caros nas prateleiras dos supermercados, é em feiras de rua que esses alimentos são encontrados em maior quantidade e a preços compatíveis aos dos convencionais. O Ministério do Desenvolvimento Agrário calcula que, atualmente, 50 mil agricultores produzem alimentos sem a utilização de agrotóxicos no Brasil.

Mas não são todas as feiras de rua que vendem produtos orgânicos. O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC) disponibiliza em seu site uma ferramenta para localização e cadastramento de feiras orgânicas em todo o país. O vídeo abaixo apresenta a Feira Agroecológica da Redenção, que acontece nas manhãs de sábado, desde o final dos anos 1980, em Porto Alegre.

Um artigo publicado no British Journal of Nutrition sugere que a troca do consumo de alimentos convencionais por orgânicos resulta na ingestão adicional de antioxidantes equivalente a comer entre uma e duas porções de frutas e vegetais a mais por dia. Outro achado é a reduzida exposição a metais pesados com efeitos tóxicos, como o cádmio. No entanto, tais resultados contradizem os de outros dois importantes estudos. Mais detalhes no site Medical News Today.

Bookmark and Share

por no dia 17 de julho, 2014      nenhum comentário

5 de junho – Dia Mundial do Meio Ambiente

O Dia Mundial do Meio Ambiente foi estabelecido pela Organização das Nações Unidas em 1972. Embora a Primeira Revolução Industrial já tivesse suscitado reflexões sobre a preservação da natureza, as duas grandes guerras mundiais ocorridas num curto espaço de tempo e a tensa bipolaridade política de então (Guerra Fria) foram elementos cruciais para um maior engajamento nessa causa.

Para estimular a consciência ambiental e a criação de políticas sustentáveis, na Assembleia Geral que estabeleceu a referida data foi criado o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). Atualmente, seu foco está na preservação da biosfera e nas respostas às mudanças climáticas no planeta.

Visite o site do PNUMA.

Bookmark and Share

por no dia 5 de junho, 2014      nenhum comentário

ONU destaca o papel da agricultura familiar

A ONU estabeleceu 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar. O objetivo é ressaltar a importância dos pequenos agricultores em termos socioeconômico, cultural e ambiental, colocando a questão entre as prioridades das agendas políticas.

O valor da agricultura familiar vai muito além da variedade na produção de alimentos. Os pequenos produtores rurais trabalham em harmonia com os ecossistemas, trabalho este que, muitas vezes, representa uma fonte de subsistência atávica. Portanto, trata-se também de uma questão de identidade cultural que perpassa gerações.

Mas os desafios são cada vez maiores: a agricultura familiar vem perdendo espaço para a de larga escala (na América Latina, apenas 18% das terras agrícolas são destinadas a esse tipo de produção); outro ponto crítico é a aguda mudança climática nalgumas regiões. O vídeo abaixo apresenta o AIAF 2014:

Detalhes: Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação

Bookmark and Share

por no dia 10 de abril, 2014      nenhum comentário