A tradução que é o original: os artigos científicos

Um fato bastante óbvio sobre os artigos científicos, mas que passa, muitas vezes, despercebido, é que os textos de origem enviados para tradução normalmente desaparecem do mundo e são substituídos por suas traduções, que se tornam o texto original. Por conta disso, acreditamos que os tradutores têm um papel importante em ajudar o autor a produzir um excelente texto. Para tanto, devem posicionar-se como escritores/editores – tornar o texto claro e legível, apontar lacunas de informação, melhorar a coesão e a coerência e evitar plágio não intencional, que pode ocorrer quando o autor, ao montar o artigo, “copia em português” trechos do artigo que está citando.  traduimage

Para que essa empreitada tenha sucesso, autores e tradutores precisam trabalhar em equipe. Normalmente, a produção bem-sucedida de um artigo científico precisa de mais de uma rodada de elaboração. O tradutor/editor trabalha no texto, envia essa versão ao autor com dúvidas e comentários e revisa o texto novamente ao menos uma vez para finalização.

Entre as contribuições que os autores podem fazer para esse processo estão:

  • Negocie com o tradutor um cronograma que contemple o tempo necessário para um bom trabalho de texto. Traduzir é uma tarefa cognitivamente exigente; a tradução de 2.500 palavras não deve ser feita de um dia para o outro. Além disso, essa primeira tradução precisará ser revisada e editada antes de chegar ao autor.
  • Envie ao tradutor os principais artigos que você citou. Muitos tradutores (talvez a maioria deles) não têm acesso a revistas pagas e a consulta a esses textos é fundamental para a produção textual. O envio dos artigos citados também reduzirá bastante o tempo de pesquisa e pode melhorar o prazo de finalização.
  • Produza um texto claro para fins de tradução – se você não é um escritor de mão cheia, expressar claramente o objetivo do artigo e escrever frases curtas, em ordem direta, já ajuda muito e pode economizar tempo. Concentrar-se em escrever claramente o objetivo do artigo permite que o tradutor/editor consiga sugerir alternativas corretas para o título e as conclusões (por exemplo) e consiga perceber pontos do texto que são inconsistentes com o que trabalho se propõe a fazer.
  •  Tenha clareza sobre as limitações do trabalho e comunique isso ao tradutor/editor.
  • Considere a possibilidade de reconhecer o trabalho do tradutor/editor na seção de “Acknowledgements”. Muitos autores preferem não fazer isso, mesmo quando uma revista pede que seja feito. Entretanto, não há demérito em obter ajuda profissional para a produção de um texto eficiente. Falar uma língua é bastante diferente de escrever essa língua – e escrever em uma língua não resulta automaticamente em proficiência na escrita de variedades técnicas daquela língua.

 

As contribuições dos tradutores incluem:

  • Dedique-se a estudar o formato e a estrutura dos artigos científicos, um gênero no qual a forma também tem significado – a ausência de determinados marcadores no lugar certo, como a ausência do objetivo no final da introdução, pode desqualificar o artigo mesmo que o trabalho tenha mérito científico. Os pareceristas não vão desperdiçar tempo procurando no texto informações que estejam fora de lugar.
  • Não tente fazer sentido de frases que não têm sentido. É melhor dizer ao autor “não entendi” ou perguntar se “é isso mesmo que vocês querem dizer”.  Mesmo que você não seja especialista na área do autor, o fluxo de ideias em um artigo (normalmente) é acessível para leitores proficientes que sejam capazes de compreender as relações entre elementos linguísticos dentro da frase, entre as frases e entre partes diferentes do texto.

 

Embora esses passos impliquem maior dedicação de tempo antes da submissão, costumam resultar em economia de tempo mais tarde, quando os pareceres retornam – e podem, inclusive, evitar a recusa do artigo por razões que não sejam nem de mérito científico, nem de tradução, mas sim, simplesmente, de falta de diálogo e organização.

Produção texto & imagem: ACBG

Bookmark and Share

Postado em 6 de fevereiro de 2016      1 comentário

Categoria: Prática Profissional   

1 comentário sobre “A tradução que é o original: os artigos científicos”

  1. Marise Zappa disse:

    Excelente artigo!!!
    Muito claro, didático e direto.
    Gostei muito visto que sou revisora científica de artigos científicos para uma revista de Odontologia e a cada dia percebo como é importante o relacionamento autor/tradutor/revisor a fim de se alcançar a excelência nos trabalhos.

Faça um comentário